Brasil, 
18 de junho de 2021
Sorteados

Confira os ganhadores,
cadastre-se e
concorra a prêmios!
Indique este site para um amigo
Seu e-mail:

E-mail do seu amigo:

Ecobanner 1
A A
5 mil camelos foram mortos a tiro na Austrália

Para alguns camelocídio, para outros uma necessidade para proteção das comunidades nativas.

          No inicio deste ano o governo australiano autorizou franco-atiradores a exterminarem cerca de 10 mil camelos acusados de invadirem comunidades aborígenes em busca de água e alimento, colocando grupos aborígenes em risco. Em 5 dias foram contabilizados 5 mil animais abatidos, entre camelos e dromedários.

Entenda o motivo e tire suas conclusões.

          Acredita-se que a Austrália tenha a maior população de camelos selvagens do mundo, com estimativas oficiais sugerindo que mais de um milhão está vagando pelos desertos do país.
Os camelos foram introduzidos na Austrália durante a colonização inglesa. A maioria foi levada da ex-colônia inglesa (a hoje autoproclamada República da Somalilândia) para a Austrália, que na época vivia sob o domínio britânico. Alguns dados afirmam que na  década de 1840  mais de 20 mil animais foram importados da Índia.

Foto: GreenMe
 
          A despeito das alegações que remontam ao passado colonial, fato é que a matança continua e os camelos dificilmente serão movidos de um continente para outro. A história, infelizmente, prova: nos últimos anos, a lei foi anunciada após as queixas da população de que os animais invadem suas propriedades em busca de água e que sua flatulência contribuiria para o aquecimento global. Líderes aborígines disseram que os ¨grandes rebanhos ameaçavam alimentos e água potável escassos, danificavam a infraestrutura e criavam um risco para os motoristas”. Com os incêndios e a seca muitos animais morreram e suas carcaças contaminaram o solo e a água, causando ¨distúrbios¨ para a população. 
 
          Apesar dos camelos serem usados como atração turística para passeios na região desértica da Austrália, a população informa que a população é tão grande que causa diversos problemas para a população.

Foto: DW
 
          Na Somália, a população agora pede o fim dos abates e que os animais sejam levados de volta. Mustafe Cali Deeq, presidente da Somaliland Camel Herders Association, explicou que os camelos são muito valiosos para os somalis e “perdem apenas” para os seres humanos. Defende que a Austrália deveria salvar a vida dos camelos, enviando-os para seu local de origem, no Chifre da África, onde esses animais são tido como sagrados e amados. Chamados de ‘geel’, os camelos representam riqueza e bem-estar.
 
          Ativistas questionam: um país tão desenvolvido será que não encontra outra opção? Não existem outras soluções que não  seja a morte desses animais? 
 
          Provavelmente a Austrália opte pela opção mais rápida e barata. Tradicionalmente a opção de abate faz parte deste país, entre 2009 a 2013 cerca de 160 mil camelos foram mortos. Em 2015 o governo australiano criou um programa para abater gatos domésticos em situação feral. O gato doméstico é outra espécie introduzida no país e que não recebeu atenção e controle necessários, então novamente o governo australiano achou mais fácil eliminar cerca de 2 milhões de gatos entre 2015 a 2020. Petiscos envenenados são lançados por aviões ou drones na natureza!
 
          Os incêndios já mataram quase meio bilhão de animais! Agora 10 mil camelos serão abatidos, a estimativa para gatos é de 1 milhão de animais mortos até o final deste ano!
 
          Qual sua opinião? O que o governo australiano deva fazer?
 
          Acesse o face e siga Mustafe Cali Deeq.
 
          Para ver a matéia sobre a matança dos gatos clique aqui. Para ter uk pouco mais de informação veja as matérias do Anda e DW
 
Newsletter
Digite seu e-mail: