Brasil, 
18 de junho de 2021
Sorteados

Confira os ganhadores,
cadastre-se e
concorra a prêmios!
Indique este site para um amigo
Seu e-mail:

E-mail do seu amigo:

Ecobanner 1
A A
Chal-Chal

Espécie indicada para plantio em recuperação de áreas degradadas e matas ciliares, pelo abundante alimento que fornece para a fauna.

          O chal-chal (Allophylus edulis) é uma árvore da família Sapindaceae, também conhecido como aperta-goela, baga-de-morcego, fruta-de-passarinho, fruta-de-pavão, olho-de-pombo(a), pé-de-galinha, quebra-queixo e outros . Seu nome indígena é Rembiú, vem do Guarani e significa “comida de pomba”, o nome latim edulis significa comestivel.

          Espécie indicada para plantio em recuperação de áreas degradadas e matas ciliares, pelo abundante alimento que fornece para a fauna. Possui também valor ornamental para jardins, ruas e praças. As folhas podem ser utilizadas como forragem.

Características

         É uma espécie nativa de 3 a 10 metros de altura, com tronco reto de 20 a 30 cm de diâmetro, casca fina e pardo-escura. Suas folhas são de 8 a 15 cm de comprimento e de margem serreada.  Quando em pleno sol, cresce de 3 a 5 m de altura, copa rala de 1,5 a 3 m de diâmetro. Na floresta se torna arvore gigante de 15 m de altura com tronco de até 50 cm de diâmetro. As flores são branco-esverdeadas, de 2 a 5 mm de diâmetro, agrupam-se em inflorescências axilares terminais. Os frutos são ovóides, pequenos, vermelhos, de casca lisas e de até 5 mm de comprimento. As sementes não necessitam de quebra de dormência, após o plantio, a germinação ocorre no máximo em 60 dias, possuindo taxa de germinação superior a 70%

Floração  e Frutificação 

          A floração ocorre de setembro a novembro e a frutificação de novembro a dezembro. Apesar da pequena dimensão dos frutos, a frutificação é abundante, e de fácil coleta. Os frutos são comestíveis, doces e de sabor agradável, e podem servir de base para o preparo de sucos, licores, polpa congelada e também de bebida vinosa por fermentação, denominada “chicha”, sendo preparado com milho e consumida desde os índios peruanos até Buenos Aires e Sul do Brasil. Quando bem maduros, a polpa pura pode ser consumida da mesma forma que o açaí-do-Pará, misturada com mel, granola ou outros produtos. 

          As sementes, após torradas e salgadas, são também alimentícias, possuindo um sabor delicioso, provindo daí o nome popular de quebra-queixo. 

 

   

 

Hábitat e Distribuição geográfica

Planta semidecídua, pioneira e seletiva higrófila, comum no interior de matas primárias situadas em solos úmidos. Ocorre também em capoeiras, capoeirões e matas mais abertas situadas sobre solos rochosos. Ocorre na Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica e pantanal . 

Dicas para cultivo

          Árvore de crescimento rápido que resiste a baixas temperaturas (até -4 graus), vegeta bem em altitudes superiores a 400 m. Gosta de solo profundo, úmido, neutro, com constituição arenosa ou argilosa (solo vermelho). É preciso no mínimo 2 plantas para uma melhor produção. É indiferente quanto a altitude do terreno. A planta inicia a frutificação com 3 a 4 anos.

          Pode ser plantada a pleno sol como na sombra no meio de arvores grandes bem espaçadas. Espaçamento 5 x 5 m. Irrigar a cada quinze dias nos primeiros 3 meses, depois somente se faltar água na época da florada.

Curiosidades

          A infusão das folhas é utilizada na medicina popular contra problemas hepáticos, febre, hipertensão, disenteria, icterícia, inflamações da garganta e afecções digestivas e intestinais. Externamente o decocto das folhas serve para limpeza de ferimentos.

           A madeira, de cor branca,  é utilizada para lenha e também para confecção de cabos de ferramentas. 

          É também planta melífera. 

          Aves mais atraídas pela planta  são os sabiás, sanhaçus, bem-te-vi, trinca-ferro-verdadeiro, entre outros…

 

Fotos: Picasa Web

Newsletter
Digite seu e-mail: