Brasil, 
26 de setembro de 2022
Sorteados

Confira os ganhadores,
cadastre-se e
concorra a prêmios!
Indique este site para um amigo
Seu e-mail:

E-mail do seu amigo:

Ecobanner 1
A A
Comedores de Formiga

Conheça um pouco sobre os Tamanduás

          Assim são chamadas as três espécies de xenarthra existentes no Brasil, o Tamanduá Bandeira, Tamanduá Mirim e o pouco conhecido Tamanduaí. Os Tamanduás não possuem boa visão e audição, no entanto o olfato é bastante desenvolvido.
Conhecendo as espécies:

- Tamanduá Bandeira:
          O maior e mais conhecido de todos é o Tamanduá Bandeira - Myrmecophaga tridactyla que pode chegar a 50 kg. Ativo durante o dia e a noite, alimenta-se de formigas e cupins, chegando a comer 30 mil insetos por dia. Pode ser encontrado em todo o Brasil numa grande variedade de ambientes: florestas, cerrados, pantanais e campos. Recebe seu nome devido a cauda volumosa, constituída de pêlos grossos e mais longos que os do corpo. Apresenta um comportamento caracterísitco de ficar apoiado nas patas de trás e cauda, ficando de pé e usando os membros anteriores com suas unhas de até 6,5 cm para se defender. Outro comportamento interessante é gostar de banhar-se em lagoas ou algum outro ambiente aquático.
O tamanduá bandeira não apresenta estrutura social definida, vivendo como animal solitário a maior parte do tempo, com exceção dos breves encontros para reprodução e das fêmeas com filhotes, que são carregados durante os seis primeiros meses de vida.


Foto: National Zoological Park

- Tamandua Mirim ( Tamandua tetradactyla):
          Esta espécie é conhecida como tamanduá mirim ou tamanduá de colete, de menor tamanho e peso que o anterior, chega a pesar até 7 kg. A pelagem é curta e densa e sua coloração é amarela pálida, com duas listras pretas que avançam da região escapular até a porção posterior do animal, lembrando um colete, dando nome ao tamanduá. Uma das caracterísitca dessa espécie é a cauda preênsil sendo sua extremidade desprovidos de pêlos. Sua forma de defesa é similar ao tamanduá bandeira, consiste em assumir uma postura ereta, sob um tripé formado por suas pernas traseiras e sua cauda, deixando assim as garras dianteiras expostas. No Brasil é encontrado em todos os biomas (Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pantanal e Campos Sulinos.

- Tamanduaí ( Cyclopes didactylus)
          Esse é o menor dos tamanduás,  chegando a 20cm de corpo e seu peso raramente é maior que 400 g. Sua cauda é relativamente longa (25 cm) e preênsil, e é desprovida de pêlos na região do lado de baixo.
É uma espécie pouco estudada devido ao seu pequeno porte e hábitos ainda desconhecidos. Apresenta uma atividade noturna e pasa grande parte do dia nas copas de arvoré sendo difícil a visualização.
Utilizam uma grande variedade de habitat, como florestas úmidas na região amazônica, áreas de capoeira, mangues e mata decídua. Existem alguns registros esporádicos da espécie no nordeste brasileiro (Pernambuco, Sergipe, Alagoas) cujas populações se encontram isoladas da população Amazônica pela faixa de Caatinga que separa a floresta Atlântica da floresta Amazônica.


Podemos dizer que os Tamanduás estão ameaçados de extinção pelas seguintes causas:
- Destruição dos ambientes naturais é a principal ameaça aos Tamanduás;
- Os ataques por cães também é citada como uma das grandes ameaças.
- Os tamanduás bandeira e mirim são comumente atropelados, se for levada em consideração a baixa densidade populacional, este se torna um fator extremamente preocupante;
- As queimadas também é uma grande ameaça para a espécie, sendo este um importante fator de impacto em pequenas populações na região central do Brasil;
-  A captura  do tamanduaí para utilização como mascote também é comum na região amazônica.


Para saber mais sobre os Tamanduás e os trabalhos de pesquisas: www.tamandua.org

 

Newsletter
Digite seu e-mail: