Brasil, 
04 de julho de 2022
Sorteados

Confira os ganhadores,
cadastre-se e
concorra a prêmios!
Indique este site para um amigo
Seu e-mail:

E-mail do seu amigo:

Ecobanner 1
A A
Aranha do México é vegetariana, afirma grupo de cientistas.

O vegetarianismo no mundo animal.

          A aranha Bagheera kiplingi recebeu nome de predador (afinal, "Bagheera" é o nome da pantera nas histórias infantis de Mowgli, o menino-lobo), mas sua dieta não podia ser menos sanguinolenta: pontinhas suculentas de folhas. O aracnídeo, que vive no México e na Costa Rica, é a primeira entre as 40 mil espécies de aranhas do mundo a comer praticamente só plantas.

          O estranho caso do aracnídeo vegetariano está descrito em artigo na revista científica "Current Biology". Só não é possível dizer que ele é adepto do vegetarianismo estrito porque ocasionalmente o bicho ainda pode capturar e devorar larvas de uma espécie de formiga que vive no mesmo ambiente, as folhas de acácias.

          "Ainda não fiz experimentos controlados para ver se essa pequena proporção de proteína e gordura animal é indispensável para a aranha. Para isso, preciso obter permissão para importar a espécie e criá-la em laboratório", conta Chris Meehan, doutorando do Departamento de Ecologia e Biologia Evolutiva da Universidade do Arizona (EUA).

         Tirando uma casquinha - De qualquer maneira, o costume residual de comer larvas de formiga talvez tenha a ver com o fato de ambos, aracnídeos e insetos, competirem pelo mesmo recurso. É que as acácias têm uma relação de parceria com as formigas: enquanto o inseto patrulha a árvore e elimina outros herbívoros, a planta fornece as pontas suculentas das folhas, uma estrutura nutritiva da qual a formiga vive.

          A aranha subsiste justamente tirando uma casquinha desse bom relacionamento, comendo as estruturas destinadas às formigas. "Não temos indicação de que ela também ajude a planta a se proteger contra outros herbívoros. Parece parasitismo, mas essas interações podem ser mais complexas do que se imagina", ressalta Meehan.

          Também há indícios de que o bicho conseguiu superar a eterna limitação das aranhas: a necessidade de lançar sobre a presa seus sucos gástricos e só então sugar o material digerido.

          "O que nós vimos é que ela vai fatiando e picotando as pontas das folhas", explica Meehan. Para isso, o bicho usa as quelíceras, apêndices próximos da boca. A adaptação não é perfeita, o que leva a aranha a ter de "mastigar" e chupar a matéria vegetal antes de engoli-la.

         "Pode ser que as poucas larvas que ela come tragam bactérias da flora intestinal das formigas, as quais ajudam a aranha a digerir as pontas das folhas", diz Meehan. (Fonte: Reinaldo José Lopes/ Folha Online)
 

Newsletter
Digite seu e-mail: