Brasil, 
24 de fevereiro de 2024
Sorteados

Confira os ganhadores,
cadastre-se e
concorra a prêmios!
Indique este site para um amigo
Seu e-mail:

E-mail do seu amigo:

Ecobanner 1
A A
Conhecendo o Lobo Brasileiro. set/2008.

Lobo Guará: Lobo, Cachorro ou Raposa?

          O Lobo-Guará, Chrysocyon brachyurus, é um dos representantes da família Canidae da fauna brasileira. Qualquer observador poderia descrevê-lo como uma "raposa de pernas longas". Porém, os estudos indicam que não se trata de uma raposa ou de um lobo verdadeiro, mas de uma espécie distinta. Sua cor é marrom-claro avermelhada com pernas longas, finas e com extremidades negras. A cauda com pelagem densa é proporcionalmente curta, com a extremidade branca. O focinho é preto e na garganta os pêlos são brancos. Apresenta pêlos longos por todo o corpo. O que diferencia dos outros canídeos ainda, além do tamanho (cerca de 170cm de comprimento total, incluindo a cauda, e mais de 70cm de altura e 23kg), são suas longas pernas. Na área da nuca até o dorso, apresenta pêlos mais longos e escuros configurando uma pequena crina. A garganta é branco-amarelada assim como a face interna das orelhas.
          No Brasil também é conhecido por Aguaraçu, Jaquaperi, Aguará ou apenas Guará, são todos nomes indígenas.

                    

Hábitos e hábitats:

          Comum em hábitats de vegetação aberta, o lobo-guará é o maior canídeo encontrado na América do Sul, ocupando áreas de florestas abertas, savanas e cerrados desde a região nordeste do Brasil até o Paraguai, região norte da Argentina e oeste da Bolívia.
Alimenta-se de frutos, insetos, répteis, aves, roedores e outros pequenos vertebrados. A fruta-do-lobo (Solanum lycocarpum) e roedores são alguns dos itens mais frequentes na sua dieta.
          Tem hábitos noturnos, mas pode ser encontrado pela manhã. É solitário, arredio à presença humana, porém ao afastar-se cerca de três a quatros metros, mostra-se curioso.  Os casais de lobo-guará são monogâmicos, geralmente dividem um território de 25Km², mas a fêmea e o macho andam sozinhos. Eles se juntam somente para acasalar e criar os filhotes. O número de filhotes por gestação varia entre dois a cinco indivíduos gerados durante 62 a 66 dias. Os filhotes, que são negros ao nascer, adquirem a coloração avermelhada dos pais entre 4 e 10 semanas de vida. As pernas alongadas se desenvolvem quando o filhote possui entre 4 a 6 meses de idade. Os filhotes são amamentados pela mãe até a quarta semana, quando então alimentos regurgitados são gradativamente adicionados à dieta. O macho algumas vezes oferece alimento aos filhotes.
          Pode ser avistado durante o dia descansando nas sombras de pequenos arbustos e árvores, sendo mais comum encontra-lo em horários crepusculares e durante a noite, quando está mais ativo. Nas estradas de terra nas regiões de ocorrência, é comum encontrar rastros e fezes, pois o lobo-guará temo hábito de utilizar essas estradas para se locomover.
          Um comportamento típico do lobo-guará é emitir latidos altos ou grunhidos que informam ao respectivo parceiro a sua localização e "recomendam" aos outros membros da espécie que permaneçam longe do seu território. Os lobos-guará vizinhos geralmente respeitam as fronteiras impostais por outros casais. Outra forma de demarcar território é utilizando odores fortes, cada indivíduo deposita sua urina com odor extremamente forte e fezes em cima de pequenos morros ou cupinzeiros, delimitando as fronteiras de seu território. Estes odores fortes e exclusivos servem de sinal de "não invada" para os outros animais da espécie.

Espécie ameaçada:
Perda de hábitat e vítima frequente de atropelamento em estradas e rodovias. Encontra-se na lista de espécies ameaçadas do IBAMA (2003) na categoria vulnerável e em via de ameaça pela IUCN (2006). Além do desmatamento e ocupação do território do lobo-guará para plantações e pastagens, algumas pessoas o caçam em busca de partes do corpo que acreditam apresentarem propriedades mágicas.

 O Lobo-Guará não é mau! Ajude a protege-lo!

 

Newsletter
Digite seu e-mail: