Brasil, 
24 de fevereiro de 2024
Sorteados

Confira os ganhadores,
cadastre-se e
concorra a prêmios!
Indique este site para um amigo
Seu e-mail:

E-mail do seu amigo:

Ecobanner 1
A A
Coruja-buraqueira. agosto/2008

O uso mais criativo de estrume.

          A coruja-buraqueira utiliza um buraco como abrigo, para descansar, esconder-se e construir ninhos. Seu nome científico, cunicularia, significa "pequeno mineiro", mas ela prefere os buracos já feitos, abandonados por outros animais. Na chegada da primavera, a coruja-buraqueira macho escolhe ou escava um buraco, normalmente em locais de capim baixo, onde preda com facilidade insetos e pequenos roedores no solo. Essas corujas tem o costume de coletar estrume (de vaca ou de cavalo, embora no pasado talvez fosse de veados) e colocá-lo dentro da câmara do ninho e em volta da entrada.

 

          Acreditava-se que a coruja fazia isso para encobrir o cheiro dos ovos e dos filhotes, a fim de protegê-los de predadores, como os furões. No entanto, foi descoberta uma utilização mais nutritiva e criativa. As pelotas regurgitadas das corujas em cujos ninhos existe estrume contêm dez vezes mais besouros de estrume do que as das corujas que não usam estrume. Isso porque os besouros, cuja própria atividade nidificadora consiste em achar estrume para depositar seus ovos, acabam sendo atraídos pelas corujas-buraqueiras. Assim, o estrume proporciona alimento fácil para as fêmeas que estão chocando e, é claro, também para os próprios machos, que passam a maior parte do tempo protegendo os buracos dos ninhos e por isso não têm oportunidade de caçar.

 

Fonte: Natureza Radical de Mark Carwardine

Newsletter
Digite seu e-mail: